BellaAlvarez WebDesign GaneshaSloka, Marcos MC Shiva Sloka, Marcos MC Veneza, Marcos MC Ganesha Sloka, Marcos MC Singing Shummann, Marcos MC Prashka, Artur Ikishima Muslim, Marcos MC Multikulti, Euler Paixao

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Pina Bausch e o Wuppertal Dança-teatro: Repetição e Transformação
Ciane Fernandes, Editora Hucitec, 2000

FOTO DA CAPA: Wuppertal Dança-Teatro em 1980 - Ein Stück von Pina Bausch, de Gert Weigelt

para informações sobre como adquirir este livro escreva para cianef@gmail.com

O livro Pina Bausch e o Wuppertal Dança-Teatro: Repetição e Transformação, publicado em 2000 pela editora HUCITEC, possui 199 páginas e 18 fotos, e foi lançado em 2001 pela Peter Lang Publishers em New York. O livro, resultado de extensa pesquisa de doutorado (New York University, 1995), propõe uma abordagem interdisciplinar para o estudo da dança-teatro, tendência cênica de destacada relevância contemporânea.
A autora utiliza-se da Análise de Movimento Laban e dos escritos de Jacques Lacan e Michel Foucault, entre outros, para investigar o uso da repetição no processo criativo e nas obras de Pina Bausch (n.1940), considerada a coreógrafa mais importante deste século (Jochen Schmidt, 1998).
A repetição, tema de notável importância nos mais variados campos, desde a filosofia, história, psicologia, música, comunicação, cinema, artes plásticas e cênicas, é meticulosamente investigada em suas diversas modalidades nas obras que têm influenciado profissionais em todo o mundo.As obras de Bausch não apenas utilizam-se da repetição como um método ou artifício coreográfico, mas a incorporam como um tema a ser criticamente retalhado e decomposto, até gerar o inesperado e supostamente oposto: a diferença, a transformação.
A dança-teatro de Bausch não rejeita nem serve à força disciplinária da repetição, mas consistentemente a usa para subverter seu próprio processo de dominação corporal, a níveis estético, cognitivo e social, para dançarinos e público. Através da repetição, o Wuppertal Dança-Teatro transforma estáveis polaridades como dominado-dominador, dançarinos-platéia, movimento-palavras, corpo-mente, mulher-homem, espontaneidade-artificialidade, cotidiano-teatro, indivíduo-sociedade, significado-forma em dinâmicos e desafiadores questionamentos, desconstruindo papéis estéticos, psíquicos e sociais. Simultaneamente natural e linguístico, experencial e automático, pessoal e social, o corpo "reconta" e "redança" sua própria história de fragmentação, ausência e dominação, constantemente repetindo e transformando - "redefinindo" - dança.

"Ciane Fernandes propicia ao leitor uma introdução compreensiva e rica em espectros ao trabalho de Pina Bausch. Sobretudo, sua concisa e bem delineada análise, abordando os aspectos psicológicos e sociológicos, abrem a mim - como coreógrafo e dançarino - os olhos para um entendimento mais abrangente do processo de trabalho e coreografias de Pina Bausch".
FRANK HAENDELER, coreógrafo e dançarino, originalmente de Wuppertal, Alemanha.

"Com seu trabalho, Ciane Fernandes ultrapassa ambas literaturas - a alemã e a norte-americana - e suas (em geral culturalmente restritas) visões da Dança-Teatro Alemã. Assim, ela obtém sucesso ao apresentar novas questões sobre a dança-teatro de Pina Bausch. A autora é igualmente devotada a ambos - à emocionalidade do mundo não-verbal de imagens apresentado por Bausch e ao mundo (verbal) teórico proposto aqui por Lacan e Foucault. Durante todo o livro, a autora torna-se uma mediadora, integrando dança e teoria, movimento e palavras, estética e análise. Apesar de sua articulação altamente técnica, Ciane Fernandes mantém sua sensibilidade, respeito, honestidade e humildade com relação ao mundo do movimento e das imagens.
A descrição/análise de cenas de diferentes obras de Bausch, assim como a completa análise de um de seus maiores trabalhos, concedem também ao leitor (que talvez não tenha visto uma peça da coreógrafa) muitas possibilidades de experienciar a variedade artística do Wuppertal Dança-Teatro, em aspectos simultaneamente estéticos, cognitivos e sociais".

Dr. SUSANNE SCHLICHER, dramaturga, autora de TanzTheater. Traditionen und Freiheiten. Rowohlt: 1987); Coordenadora do Departamento de Direção Teatral da Universidade de Hamburgo, Alemanha.

1a edição QUASE esgotada. Alguns exemplares ainda disponíveis com
cianef@hotmail.com 2a edição revisada programada para lançamento no início de 2006. Contatos:
annablume@annablume.com.br

 

 

POESIA PREMATURA
(Salvador,1997), maquiagem de Wagner Lacerda e fotografia de Marcos MC

 

 

 

... em lançamento do livro no Festival Internacional de Teatro 2000, Belo Horizonte

foto: Guto Muniz


 

 

 

 

 

 

PPGAC-UFBA Programa de Pós-graduação em Artes Cências da Universidade Federal da Bahia - Brasil

Avenida Araújo Pinho, no. 292, Bairro Canela, Salvador CEP: 00000-000 Fonefax: +55 71 32837858